Decidi começar a escrever para ti, para um desconhecido. Talvez seja mais fácil assim. Quando não criámos  expectativas, não nos desiludimos. Por isso, porque não me conheces, e porque não passas de mero fruto da minha imaginação, escrevo-te e conto-te a minha história, aos poucos, para não ficares assustado. E espero, secretamente, que me leias, e me ajudes a ultrapassar o meu passado.

Filipa.

1 comentário:

I AM... disse...

Filipa, o que te aconteceu foi horrível. Não há palavras para descrever. Nunca passei por algo assim, é verdade, mas gostaria de puder ajudar. Espero que tenhas tudo de bom, ninguém merece o susto que tiveste. Sei que não me conheces, mas se precisares de alguma coisa, podes dizer.